CRISE X EMPREGO

Tempo de leitura: 2 minutos

A crise econômica que o Brasil enfrentou em 2015 atingiu todos os setores e influenciou diretamente o mercado de trabalho. De acordo com a Pesquisa Nacional, divulgada pelo IBGE, no fim de Setembro/2015 a taxa de desemprego foi estimado em 8,6%, sendo que no ano anterior atingiu 6,9%. Até o momento, esta é a maior taxa desde 2012, ainda segundo o levantamento, o número de desempregados subiu 1,8 milhão.

Diante de um número tão elevado e crescente de demissões, é natural e inevitável que os profissionais tenham medo de perder o emprego. Para se manter empregado em tempos de crise, é importante a pessoa ter disponibilidade para ajudar, aumentar a sua produtividade, investir em cursos, ter bom astral e cumprir os compromissos com pontualidade.

BUSQUE UM DIFERENCIAL

Quem passou por um processo de demissão, sabe o quanto é difícil controlar a baixa autoestima, no entanto, a carreira precisa voltar aos eixos e postura do profissional diante á dificuldade é fundamental para conquista de uma nova oportunidade.

O profissional deve fazer a seguinte análise: durante o tempo que atuou na empresa ele aprimorou os seus conhecimentos? Houve desenvolvimento profissional? Foi convidado para trabalhar em outras empresas? Se a resposta for negativa, com ou sem crise, essa pessoa estava afogada em uma crise interna, a demissão foi apenas um empurrão de que ela necessitava para abrir os olhos.

As empresas estão em busca de profissionais que saibam lidar, principalmente, com inteligência emocional. Os mais requisitados sabem trabalhar sob pressão, são dinâmicos, encaram as situações mais difíceis e seu desempenho não é afetado por isso.

Quando o assunto é conquistar um novo emprego, o foco está no diferencial do profissional, portanto, ficar restrito à padrões não é a melhor saída, o caminho está em investir no “algo a mais”.

Para alguns, a crise é o fim do mundo, para outros, a chance de uma nova oportunidade. Existe empresas demitindo, mas por outro lado, há setores que estão contratando, resta saber de que lado você está.

Uma dica importante: revise o seu currículo e dispare-o para todas as vagas que realmente quiser ocupar, insista, uma hora dá certo. Outro importante fator a ser considerado, é a negociação salarial. Momentos de crise em que grandes empresas estão cortando gastos, seria inteligente em considerar uma redução salarial e quem sabe colher bons frutos em um futuro próximo.