A ARTE DO DISCURSO

Tempo de leitura: 5 minutos

Empresário orador é aquele que convence ao falar, que faz com que as pessoas se interessem pelo que ele fala, pelo seu produto, pelo seu serviço. Falar bem, portanto, é de extrema importância para qualquer empresário.

A boa oratória ainda é aquela em que há coerência entre o que é dito e o que é mostrado. Se em uma reunião ou qualquer outro momento a pessoa tiver uma boa ideia, mas não souber apresentá-la aos outros, tudo pode ir por água baixo. Ao empresário é ainda mais importante a arte de boa oratória, afinal ele é o dono, o gestor, o administrador.

Sem uma comunicação impecável não tem como crescer, seja como empresário ou como empregado. Não se deve desprezar essa habilidade.

REUNIÃO DE NEGÓCIOS

Quando não se tem habilidade da oratória e vai participar de uma reunião, normalmente essa pessoa é “engolida” por alguém que tem. Por não conseguir se expressar, expor sua ideia da forma que gostaria, então não é ouvido e não alcança os resultados desejados, isso gera muita frustração, ainda mais se na mesma reunião tiver algum concorrente e este se expressar com eloquência.

É preciso melhorar sempre e estar sempre em evolução. A pergunta a ser feita é: o que eu preciso melhorar? E a partir daí correr atrás do prejuízo, porque o mercado não espera ninguém.

EM TEMPO DE MUDAR

Oratória é uma habilidade que pode ser desenvolvida. Mas é preciso, primeiro ter consciência da dificuldade ou da importância que isso vai ter na sua vida. A partir daí, é preciso vontade.

O importante é saber por onde começar: por meio de estratégia da oratória assertiva, que é a soma de três elementos – Corpo, Voz e Roteiro.  Elas compõem o que chamam de congruência orquestrada, que trará a autenticidade com estratégia em prol da construção de confiança.

Como tudo na vida é uma questão de hábito, para nos tornarmos ótimos em algo, precisamos de preparação, treino e aplicação.

Portanto, oratória, comunicação não é um dom que foi dado a poucas pessoas, é uma habilidade importante que todos – cada uma a seu modo – podem desenvolver.

PERSUASÃO

A persuasão nada mais é do que a comunicação em seu perfeito estado, ou seja, pode – e deve – ser desenvolvida. Afinal não há boa comunicação sem persuasão.

Lembrando que persuasão é diferente de manipulação. Quando usamos a verdade como estratégia, em qualquer que seja a situação, automaticamente nos tornamos persuasivos. As oportunidades acontecem o tempo todo, precisamos estar atentos e preparados para agarrá-las.

RESPIRE

A respiração é um elemento fundamental para a oratória assertiva, pois ela ajuda a controlar a ansiedade, o medo e os famosos brancos durante reuniões e negociações.

Nós respiramos errado nossa vida toda. A nossa ansiedade, a nossa correria do dia a dia, e até, sem falar mal, a tecnologia nos faz respirar com pressa, com precipitação. O ato de respirar corretamente já nos faz sentir mais calmos, mais seguros e mais controlados. Isso faz toda diferença em uma apresentação ou reunião.

Um exercício muito eficaz é o quatro, sete e oito. Inspirar pelo nariz e contar até quatro. Segurar a respiração enquanto conta até sete e expirar pela boca na contagem de oito. Fazer isso três ou quatro vezes antes de qualquer desafio vai dar mais segurança e tranquilidade e, por consequência, os resultados serão melhores.

CONTROLE-SE

Se não tivermos o bom controle emocional, não vamos conseguir falar e nos apresentar. A emoção controla nosso corpo e, se ela não estiver em profundo controle, perde-se o controle físico também.

Só há uma boa comunicação se o que está sendo dito estiver em conformidade com o que está sendo mostrado. Se o emocional estiver abalado, o físico mostrará isso com grande intensidade, e o público não é bobo, sabe quando tem alguma errada. Inteligência emocional é a base para uma boa oratória.

As emoções são transmitidas pela oratória de modo automático e de diversas maneiras e, quando não usadas de forma estratégica, causam um impacto negativo, tanto para quem transmite quanto para quem recebe a comunicação. Despertam sentimentos que geraram ações de ataque ou fuga, pois uma emoção sem controle causa falta de inteligência emocional.

OLHA O TOM

O tom de voz também é extremamente poderoso na comunicação. Ele pode transmitir e gerar diferentes estados emocionais, como: confiança, credibilidade, nervosismo ou até mesmo sono.

Um péssimo erro é aquele tipo de pessoa que ao falar em público só usa um tom de voz, ou seja, você não consegue distinguir se a pessoa está falando algo extremamente positivo ou dando uma grande bronca.

Manter o equilíbrio do tom de voz durante uma apresentação mostrará também equilíbrio interior. Muitas pessoas pecam ao falar muito baixo ou muito alto, pior ainda são aqueles que estão em um tom e, de repente, mudam para outro, isso pode assustar o público ou gerar tédio. É preciso usar o tom de voz a seu favor, existe o momento para aumentá-lo e o momento para diminuí-lo, saiba distinguir, conheça a sua apresentação e isso trará sucesso.

DE VOLTA À REUNIÃO

De posse do “poder da oratória” com essas dicas, um empresário passará conduzir bem, especialmente as reuniões de negócio. A grande vantagem é uma conexão rápida e com empatia, de forma que a outra pessoa o veja como alguém em que ela mais confia naquele momento.

Comunicação com clareza é como se, em sua mente, não estivesse apenas o rascunho, mas sim o filme da negociação, já com objetivo final e resultado esperado.

Lembre-se que o seu corpo fala, sua voz conduz emoção e a maneira que você comunica desperta a sensação de segurança para que ambos fechem um ótimo negócio, ou seja, constrói-se relações ganha-ganha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *